Uma das principais características do mercado atual é a sua modernização. Todo produto que possuímos parece estar ganhando uma versão inteligente. É difícil apontar para qual foi o primeiro, mas uma aposta interessante são os smartphones, ou “celulares inteligentes”. Depois disso tivemos uma série de produtos com QI elevado e agora chegaram as smarthouses. Mas questão que fica é, para o corretor, quais são os desafios de trabalhar no mercado de casas inteligentes?

Esta é uma pergunta válida porque com a modernização os pontos que os proprietários e compradores valorizam também mudam. Por exemplo, se antes queríamos um ar-condicionado com controle remoto, agora o importante é que o mesmo tenha conexão wi-fi para que você controle o mesmo de qualquer lugar, pelo seu smartphone.

Pensando em ajudar corretores que podem vir a atuar com este tipo de imóvel, criamos este artigo. Nele veremos algumas dicas de como vender e trabalhar no mercado de casas inteligentes.

1. A conveniência de um imóvel mais esperto

Você já pensou como seria bom se você conseguisse apagar a luz do seu quarto, que você esqueceu acesa, através do smartphone? É bem melhor que ter que levantar do conforto do sofá da sala e ter que caminhar (em alguns casos subir escadas) para apertar um interruptor.

Melhor ainda, que tal controlar a lâmpada com sua voz? Assim você nem precisa parar de limpar as louças, lavar e secar as mãos, pegar no smartphone e apagar a luz. Interessante né?

trabalhar no mercado de casas inteligentes lâmpadas

Outro cenário que é interessante são os casos em que você programa aparelhos como o ar condicionado para serem ligados em momentos específicos. Assim você pode fazer com que os mesmos sejam ligados 30 minutos antes do momento em que você chega em casa. Tudo isso para que você consiga entrar em um imóvel bem fresco.

E não se preocupe se você se atrasar, basta cancelar o agendamento pelo celular, programando o ar-condicionado para ser ligado mais tarde.

Também é legal poder desbloquear a casa à distância, pelo smartphone. Assim, se você receberá alguma visita que vem de outra cidade, e eles chegam quando você ainda não está em casa, basta desbloquear o imóvel pelo smartphone.

Bom, essas são apenas algumas das conveniências básicas de uma smarthouse. Outras aplicações ainda mais incríveis, são possíveis. Tudo depende da criatividade do dono e da tecnologia disponível. Mas, por hora, fica claro que trabalhar com casas inteligentes, para um corretor, é uma mistura de:

2. Estude sobre a tecnologia

É importante citar que estudar sobre as novas tecnologias é essencial. Não adianta captar um imóvel repleto de novas funcionalidades e não entender como cada um destes recursos funcionam. Pense bem, estes recursos são novos, não só para você, como também para o comprador. E pode ter certeza que ele terá uma série de dúvidas.

Algumas serão básicas, perguntas sobre como ligar o ar-condicionado remotamente. Ou qual aplicativo ele precisará baixar. Outras serão um pouco mais complexas, como: quantas pessoas podem acessar o aplicativo ao mesmo tempo? Só consigo utilizar pelo smartphone ou existe um site que permite que eu controle o sistema pelo computador?

trabalhar no mercado de casas inteligentes tablet

Comente, por exemplo, sobre o princípio básico da “internet das coisas”. Este princípio se baseia no fato que tudo está conectado à rede. Assim você consegue controlar tudo, não só pelo smartphone, como também por qualquer computador de qualquer lugar do mundo. Mas é claro, isso pode trazer algumas questões sobre a segurança e a privacidade destas casas inteligentes.

3. Pesquise sobre a segurança do sistema

Como o sistema de segurança pode estar interligado à parte inteligente do imóvel, alguns clientes podem questionar a segurança dos mesmos.

E, novamente, algumas perguntas podem ser mais básicas como, por exemplo: se alguém tem meu smartphone, ele consegue abrir meu imóvel? A resposta desta pergunta dependerá do sistema utilizado, mas, em geral, será necessário desbloquear o smartphone e inserir uma outra senha para estas operações. Algo similar aos aplicativos de bancos.

Mas, uma questão ainda mais técnica seria: qual a segurança da rede como um todo? Para entender a importância desta pergunta, vamos voltar um pouco no tempo.

Existem casos de pessoas que jogaram impressoras no lixo. O motivo? Um vizinho conseguiu acesso à mesma (através da rede wifi) e enviava arquivos para serem impressos diariamente, como uma brincadeira. O dono achou que era defeito e resolveu se livrar da impressora fantasma.

Claramente, é importante para o dono ter certeza que suas lâmpadas não serão ligadas por um terceiro. Nem seu ar-condicionado, ou pior: sua porta não pode ser aberta por um hacker. Tudo tem que ser um sistema seguro e confiável, e muitos donos vão querer ter certeza disso. Você consegue confirmar isso com pesquisas e dados técnicos dos fabricantes.

4. Fale sobre a possibilidade de economia de energia

Ter a possibilidade de controlar alguns equipamentos elétricos a distância pode ser suficiente para que você reduza o gasto com energia elétrica. Isso porque, ao invés de deixar o ar-condicionado (ou aquecedor) ligados o dia inteiro, você pode programar para que os mesmos sejam ligados apenas alguns minutos antes do momento em que você chega em casa.

Parece loucura deixar tais aparelhos ligados, mas isto é comum em locais como os Estados Unidos e alguns países europeus. Quanto tempo até que o brasileiro adote também esta prática? E é óbvio, isto consome uma quantidade absurda de energia sem nenhuma necessidade.

Além disso, várias destas casas contam com painéis solares e, em alguns casos, até mesmo bancos de bateria são instalados. Um sistema deste tipo permite que o comprador não tenha que se preocupar com contas de energia tão cedo. E a automação e sensores típicos deste tipo de imóvel permite que o dono verifique tudo: a quantidade de energia gerada diariamente e os níveis da bateria, pelo smartphone ou outro dispositivo conectado à internet.

5. Explique as possibilidades do futuro

Amazon Alexa e o Google Home não são tecnologias muito comuns no Brasil. Mas pode ter certeza que, em breve, estes dispositivos estarão disponíveis. Eles são o cérebro das casas inteligentes nos Estados Unidos e na Europa e, uma vez que os mesmos estejam aqui, será possível ter casas ainda mais inteligentes e conectadas.

A LG, por exemplo, lançou uma linha de geladeiras que faz pedidos de produtos automaticamente, assim que percebe que o seu acabou. E pode ter certeza: é só uma questão de tempo até que todas estas tecnologias estejam nos nossos lares. Entender e acompanhar as mesmas desde já é essencial.

E se você quer uma plataforma imobiliária que também é inteligente, então você precisa do ville Imob. Com ele você também tem a função de acesso remoto, conseguindo acessar a plataforma do seu smartphone, do computador no seu serviço, ou do laptop, no conforto da sua casa. Tudo fica na nuvem e isso permite muito mais praticidade.

Faça hoje mesmo um teste grátis e veja como esta tecnologia funciona. Boa sorte e bons negócios.