O programa Minha Casa Minha Vida, como sabemos, é oferecido pelo governo federal. Ele visa oferecer oportunidade para as pessoas que não tem suporte para adquirir a casa própria com financiamentos convencionais. Por isso, saiba que para você, corretor, esta pode ser uma ótima oportunidade de negócios, visto que a potencialidade de concluir transações é grande. Acompanhe o texto para saber mais.

O que é preciso saber sobre Minha Casa Minha Vida?

Caso você esteja buscando por oportunidades de negócios imobiliários, saiba que trabalhar em parceria com o programa Minha Casa Minha Vida pode ser uma ótima alternativa. É algo que você poderá oferecer como o “algo a mais” na prestação do seu serviço e poderá ajudar as pessoas a conquistarem este tipo de financiamento.

Sua ajuda poderá partir de diversas situações e, entre elas, você poderá ser um assessor ou consultor que auxiliará o cliente com este processo. No entanto, existem algumas coisas que você precisa levar em consideração antes de disponibilizar seu tempo para oferecer este “bônus” ao cliente. Acompanhe para entender.

Corretor: o que é preciso saber sobre Minha Casa Minha Vida

Quem pode financiar no Minha Casa Minha Vida?

Como falamos na introdução deste texto, este é um programa exclusivamente dedicado para as pessoas que não tenham suporte financeiro de construir a casa própria. Assim sendo, nem todo mundo se enquadra nos critérios estabelecidos pelo governo federal. Entre estes critérios, o solicitante precisará estar dentro dos seguintes:

  • Faixa 1: Pessoas que ganhem até R$ 1,8 mil por mês;
  • Faixa 1.5: Pessoas que ganham até R$ 2,6 mil por mês;
  • Faixa 2: Pessoas que ganham até R$ 4 mil por mês;
  • Faixa 3: Pessoas que ganham até R$ 9 mil por mês.

É importante entender que estas faixas são atualizadas de tempos em tempos. Ou seja, é sempre importante conferir e manter-se em dia através do site oficial do programa Minha Casa Minha Vida. Desta forma, a primeira coisa que você precisa entender é que, antes mesmo de oferecer o serviço de assessoria para o programa, é importante saber se o cliente está dentro dos critérios destas faixas.

Além dos critérios de ganhos mensais, você também poderá estruturar a forma que o seu cliente poderá conseguir este tipo de financiamento. Basicamente, o programa Minha Casa Minha Vida oferece 4 situações em que ele poderá ser usado. São elas:

  • Usar o programa para financiar uma parte do imóvel;
  • Usar o programa para financiar parte da entrada do projeto;
  • Reduzindo taxas do valor do seguro de habitação;
  • Taxas menores de juros para diminuir o valor das parcelas

Desta forma, você conseguirá estruturar ainda mais o planejamento do que você pode ou não falar durante o atendimento junto ao seu cliente.

Corretor: o que é preciso saber sobre Minha Casa Minha Vida

Qual a taxa de juros do Minha Casa Minha Vida?

Agora que já entendemos quem pode fazer o financiamento, é importante também atentar-se ao valor da taxa de juros de cada modalidade. Ou seja, quando você estiver atendendo o seu cliente, certamente ele fará perguntas como esta. E se você tiver tudo na ponta da língua, melhor será a experiência do atendimento.

Portanto, a taxa de juros do Minha Casa Minha Vida é variável. Ou seja, cada situação será única e exclusiva e você precisará verificar junto a Caixa Econômica Federal como o seu possível cliente poderá ser atendido. Ou seja, se o seu cliente estiver na faixa 1, o valor da taxa será menor do que se ele estivesse na faixa 3, por exemplo. Acompanhe a tabela.

  • Faixa 1: 5% ao ano;
  • Faixa 1.5: De 5,5% até 7% ao ano;
  • Faixa 2: 7% ao ano;
  • Faixa 3: De 8% até 16% ao ano;

Assim como os valores específicos das faixas, a porcentagem de juros também deve ser consultada periodicamente para identificar possíveis mudanças, visto que recorrentemente há ajustes no programa. Por isso, nunca deixe de se informar a respeito disso.

Vale lembrar que, por mais que você esteja ajudando seu cliente a comprar um imóvel, não significa que você é o responsável por conceder ou não o benefício do programa Minha Casa Minha Vida. A sua função será apenas agregar valor para o potencial cliente, ajudando-o com informações e procedimentos referentes ao programa.

Como o corretor poderá intermediar o processo Minha Casa Minha Vida?

Como já falamos, o programa Minha Casa Minha Vida é uma ótima oportunidade de gerar novos negócios para a sua imobiliária. Uma vez que você domine tudo sobre o assunto, poderá passar a intermediar o processo entre o cliente e o banco. Isto fará com que a sua credibilidade aumente circunstancialmente e, consequentemente, a sua renda também.

Quanto mais você puder agilizar processos burocráticos e complicados, maiores serão as chances de fazer novos negócios você terá. Entretanto, você precisa estar ciente de uma série de situações que fazem parte do programa. Veja abaixo.

1- Usar o FGTS para financiar é possível

Esta é uma das situações mais interessantes para quem está buscando financiar um imóvel pelo programa Minha Casa Minha Vida. O FGTS (fundo de garantia por tempo de serviço) pode ser usado para financiar o imóvel do seu possível cliente. Este é um benefício extremamente importante para quem já não possui muitos recursos e pode ser uma ótima porta de entrada para uma venda.

2- Não precisa de entrada para financiar um imóvel

Além de ter o FGTS disponível para auxiliar no financiamento, saiba que não necessariamente é preciso dar uma entrada para conseguir fazer parte do programa. Esta é uma vantagem competitiva também muito interessante.

3- Famílias com portadores de deficiência ou idosos sempre terão prioridade

Durante o seu atendimento, vale questionar este tipo de situação. Pois somente profissionais com conhecimento amplo sobre o assunto poderão direcionar o atendimento da melhor forma possível. E entender o cenário atual do possível cliente é fundamental para conquistar determinadas prioridades.

Corretor: o que é preciso saber sobre Minha Casa Minha Vida

4- O governo sempre irá priorizar os mais necessitados

Este é um programa do governo que visa facilitar o acesso a casa própria para quem não tem condições. E uma das principais formas de fazer isso, é priorizar quem mais precisa. Ou seja, colher todas as informações de forma correta vai facilitar inclusive o seu trabalho.

Bons negócios para você!

Agora que você já sabe o que precisa ser feito para poder oferecer o benefício do intermédio no programa Minha Casa Minha Vida, é hora de planejar a sua imobiliária para que possa atender os clientes da melhor forma possível.

Um ponto extremamente importante, é atentar-se para a faixa base que você poderá intermediar no programa. Somente pessoas que fazem parte da faixa 2 ou superior poderão ser intermediadas por um corretor. Ou seja, faixas inferiores a estas, deverão dirigir-se ao banco para fazer o processo.

Além disso, lembre-se de manter um bom relacionamento com os seus prospectos, sempre os acompanhando de perto para saber mais sobre os seus objetivos e necessidades. Para isso, aposte em ferramentas de gestão que melhorem esta comunicação, como o CRM imobiliário da Ville Imob. Temos certeza que com este tipo de suporte você terá ainda mais resultados!

Bons negócios!