Já se foi o tempo em que os corretores de imóveis precisavam se levantar da cadeira para captar imóveis e fechar negócios. Anúncios em jornais, placas e telefones eram as poucas alternativas disponíveis para se chegar ao cliente. Hoje, com 120,7 milhões de brasileiros com acesso à internet, de acordo com a estimativa da Nielsen IBOPE, a maneira de lidar com os clientes mudou. Nesse sentido, o corretor pode – e deve – divulgar o seu trabalho no mundo virtual.

Isso não significa que você tem que abandonar de uma vez por todas a propaganda tradicional no mercado imobiliário na sua estratégia de marketing. Pelo contrário, colocar placas pela cidade e anunciar imóveis pelos jornais ainda podem render conversões.

Na verdade, o que queremos dizer é que não dá para ir muito mais longe na carreira de corretor de imóveis, se você não investir em marketing digital. Isso porque o bom corretor está onde os clientes estão. E, pode acreditar, a maioria está conectado. Descubra, agora, as principais vantagens de divulgar seu serviço pela internet e aprenda um pouco como usá-la nesse sentido:

Benefícios da web

O grande segredo de investir pela internet é que com pouco dinheiro você consegue alcançar diretamente um grande número de pessoas. E com as ferramentas de monitoramento, como Google Analytics e Facebook Analytics, você sabe exatamente quantas pessoas visualizaram e interagiram com os seus anúncios.

Além disso, a internet possibilita um ganho de tempo muito grande nas negociações. Para se ter uma ideia de como esse trabalho dá frutos, a construtora Tecnisa realizou duas vendas pela web, uma de 500 mil reais pelo Twitter e outra de 460 mil reais por meio de um aplicativo de smartphone.

Agora, todo esforço só vai fazer sentido, se você souber quais os canais para divulgação e como anunciar por lá.

Redes sociais

Como você já deve saber, o brasileiro é um dos usuários mais ativos nas redes sociais. De acordo com ComScore, 90,8% dos brasileiros acessam redes sociais e ficam, em média, 4,9 horas mensais. A pesquisa ainda mostra que 55% dos usuários entre 35 e 49 anos usam as redes sociais para procurar novos imóveis. Ou seja: não perca essa oportunidade!

Pelo Facebook, publique fotos dos seus imóveis e compartilhe notícias relacionadas ao mercado imobiliário. Mas isso não é suficiente. Procure sempre interagir com os seus seguidores, respondendo os comentários e mensagens privadas. Com acesso aos principais interesses dos seus clientes, você ainda os conhece melhor.

Outra rede social que pode ser útil é o Twitter. Lá, por conta do limite de caracteres (140), procure publicar os links que direcionam para o seu blog ou página no Facebook.

E-mail marketing

O e-mail marketing é uma das ferramentas mais eficientes e democráticas do meio virtual. Se não fosse verdade, as multinacionais e pequenas empresas não se beneficiariam desse expediente. Segundo pesquisa da McKinsey&Company, o e-mail marketing pode ser até 40 vezes mais eficiente do que o Facebook para atrair clientes.

Mas isso só vai ser verdade, se você souber usar essa ferramenta. Antes de tudo, você precisa criar uma lista de e-mails que estejam interessados em receber o seu conteúdo. De preferência, pessoas que já te procuraram para comprar ou vender um imóvel ou já fecharam negócios com você.

Encaminhe e-mails com conteúdos que sejam úteis para quem está a procura de uma nova casa. Para quem já comprou, mande dicas de manutenção e reforma. Dessa forma, você conquista a confiança das pessoas da sua lista de e-mails.

Blog

Ter um blog pode ser decisivo para um corretor. Ele não tem a mesma eficiência para anunciar os imóveis, como as redes sociais ou o e-mail marketing, mas ele serve para mostrar que o profissional tem conhecimento na sua área. Produzindo conteúdos de qualidade sobre o mercado imobiliário, o corretor ganha credibilidade diante dos clientes.

Além do conteúdo, se preocupe com a acessibilidade do seu site, isto é, ele precisa ser acessível também para smartphones e tablets. Isso não é nenhuma bobagem. O Brasil possui mais de 42,5 milhões de usuários móveis, segundo o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). Ou seja, se o seu site não entra em dispositivos móveis, você deixa de alcançar bastante pessoas.

Depois de conferir essas dicas, é hora de colocar a mão na massa! Não perca mais tempo, o seu cliente pode estar a um clique de você.

Posts relacionados

Compartilhe: