Ampliação do Minha Casa, Minha Vida para famílias com renda de até 9 Mil.

Cerimônia no Palácio do Planalto anuncia que famílias com renda de até 9 Mil podem participar do programa habitacional do governo federal Minha Casa Minha Vida. O anúncio foi feito pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo. Confira abaixo como ficou a classificação de acordo com a Faixa:

Faixa 1: para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil (não houve alteração);
Faixa 1,5: limite de renda mensal passa de R$ 2.350 para R$ 2,6 mil;
Faixa 2: limite de renda mensal passa de R$ 3,6 mil para R$ 4 mil;
Faixa 3: limite de renda mensal passa de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.

 

Mudanças no Teto do Valor dos Imóveis

Para tentar facilitar ainda mais a aquisição da casa própria e ajudar na economia do país, o governo também elevou o teto do valor dos imóveis que podem ser financiados pelo Minha Casa, Minha Vida. Esse teto tem diferença de acordo com os estados, veja no quadro abaixo:

As novas regras passam a valer a partir da publicação da Resolução do Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou que a ampliação das faixas vai exigir R$ 8,5 bilhões a mais para subsídios e financiamentos. Desse valor, R$ 200 milhões serão da União, destinado a subsídios das faixas 1,5 e 2; R$ 1,2 bilhão virá de recursos do FGTS para subsídios e, outros R$ 7,1 bilhões, para financiamento de todas as faixas.

Essa medida tem como principal objetivo aumentar a geração de emprego. O Ministério das Cidades anunciou também que tem como meta contratar 610 mil novas unidades habitacionais em todas as modalidades do MCMV em 2017. Na faixa 1, são 100 mil unidades no Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), 35 mil na modalidade “Entidades Urbanas” e outras 35 mil na “Rural”.

Para as faixas 2 e 3 está prevista a contratação de 400 mil unidades habitacionais. Já para a faixa 1,5 serão 40 mil moradias.

 

Com relação aos Saques do FGTS

O Ministro do Planejamento afirmou que os saques de dinheiro de contas inativas do FGTS não vai diminuir os recursos dos fundos destinados ao financiamento habitacional.

Veja o que disse o ministro: “Nosso monitoramento é permanente. A habitação é a função social do FGTS. Todas essas medidas que estão sendo anunciadas foram bem calculadas e simuladas. Não há desconforto com relação a isso”.

Contudo alguns dizem que o Conselho Monetário Nacional tem de discutir orçamento do Fundo, pois isso amplia a necessidade de recursos. A discussão do CMN será intensa. O FGTS deve ter uma grande perda de receitas quando começarem a sacar os recursos das contas inativas a partir de março.

Limite de imóvel para financiamento no SFH pode chegar a R$ 1,5 milhão

BRASÍLIA – Começa a valer hoje (20 de Fevereiro de 2017) a resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) que aumentou o limite máximo do valor dos imóveis novos adquiridos por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Ou seja, o mutuário pode usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para dar entrada em habitações de até R$ 1,5 milhão. A resolução tem validade até 31 de dezembro deste ano.

Os financiamentos do SFH cobram juros menores que os demais financiamentos do mercado, de até 12% ao ano. Acima desses valores, valem as normas do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), com taxas mais altas e definidas livremente pelo mercado.

Essa foi a segunda elevação do limite nos últimos três meses. Um aumento já tinha ocorrido, no entanto averiguou-se que a medida não foi suficiente para estimular o setor.

 

Visão Geral do cenário econômico

Essas novas medidas tem como principal objetivo aquecer o mercado imobiliário, principalmente o setor da construção civil, mas também todos os outros segmentos que estão ligados ao mesmo, como por exemplo o de intermediações imobiliárias (onde atuam os corretores e imobiliárias).

Esperamos que essas medidas venham a dar um fôlego a um mercado castigado nos últimos anos. Com a perspectiva de estabilização da economia, as pessoas podem se sentir mais a vontade para comprar a casa própria ou investirem no mercado imobiliário.

O presidente Michel Temer falou que está otimista e confiante com relação a economia do país. O presidente avaliou também que a economia se recupera “suavemente” e que “tomará rumo” no segundo semestre.

 

Ramon Carvalho
Gerente de projetos ville Imob.

Fontes: Portal G1, O Globo e EBC Agência Brasil.

Posts relacionados