A crise econômica no país teve sem dúvidas um impacto em vários ramos do mercado de trabalho. No mercado imobiliário também não é muito diferente, vemos os resultados fortes e explícito do desaceleramento dos imóveis para venda, porém, o que não era muito visto veio como uma alternativa para os corretores e imobiliárias superarem esse cenário econômico, o crescimento das locações de imóveis.

De acordo com site Monitor Digital, foram realizadas pesquisas com 334 imobiliárias da cidade de São Paulo pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP) e registraram em janeiro queda de 10,24% nas vendas e aumento de 45,31% no número de imóveis alugados em comparação com dezembro.

Em Florianópolis, segundo o Jornal do Almoço-SC, há muitas ofertas disponíveis, os estoques de unidades prontas cresceram porém não teve um acompanhamento em relação aos imóveis para venda, e a queda nos negócios chegaram a 40% em toda capital. E para obter resultados nessa época difícil para o país, as promoções são grandes atrativos para ganhar a confiança dos consumidores.

Segundo Hélio Barros, presidente da SINDUSCON, em entrevista para o Jornal do Almoço-SC, afirma que há um recolhimento devido a instabilidade econômica, e empresas por necessidades operacionais fazem alguns descontos, onde os consumidores poderão ter um proveito dessas concessões que as empresas fazem e ter uma boa oportunidade de negócio.

A pesquisa feita pela Fecomercio-SC, citada no Jornal do Almoço-SC, acompanhou as oscilações do mercado imobiliário, de abril de 2014 a março de 2015 e registrou uma tendência de baixa na comercialização de imóveis e estabilidade nas locações. Esses resultados são surpreendentes e servem como uma alternativa para muitos corretores e imobiliárias no momento de imprecisão que a economia passa, a grande oportunidade é investir em imóveis em locações, tendo em vista que é uma categoria de imóvel que mais está sendo procurado pelos os consumidores.

As variações de preços e os tipos de imóveis em locações são inúmeros. Há bastante consumidores procurando quitinetes, apartamento com até 2 quartos, e até casas, porém menores. Segundo o site Gazeta do Oeste, a faixa de preço mais comum procurada por inquilinos está entre R$ 600 e R$ 500 reais, geralmente casas ou apartamentos de tamanho médio, que são com dois quartos, sala e cozinha, são os tipos de imóveis mais alugados.

imob-v30-728x90-post

Mesmo com preferência maior desse tipo de imóvel, há também os locatários que buscam imóveis mais caros, de alto padrão com a variação de valores entre R$ 1.500 e até R$ 2.500 reais.

Dessa forma, esse crescimento na locações de imóveis é uma forma e oportunidade para os corretores e as imobiliárias que não trabalham com esse tipo de imóvel estudarem sobre as possibilidades de adotar um novo negócio.

Aproveitem as oportunidades! Sucesso e Bons negócios.

Sabrina Rozindo
Depto de Marketing – Software ERP ville Imob
uma solução da villevox Comunicação e Marketing

Posts relacionados